A segurança do trabalho consiste em um conjunto de conhecimentos técnicos e normas específicas, que auxiliam na redução de risco de acidentes e da ocorrência de doenças ocupacionais.
 
A ideia, é oferecer um ambiente de trabalho saudável e seguro por meio da identificação, análise e controle das situações de risco, bem como garantir a proteção da saúde e integridade física e mental dos trabalhadores.
 
A prevenção de acidentes exige uma postura responsável por parte da empresa, que deverá atuar de forma a melhorar as relações de trabalho e, com isso, aumentar a produtividade da equipe. 
 
A segurança do trabalho atua basicamente em três atividades:
 
- Prevenção de acidentes;
 
- Prevenção de incêndios;
 
- Promoção da saúde dos trabalhadores.
 
O acidente de trabalho ocorre, quando o trabalhador sofre uma lesão corporal durante, ou em razão do exercício da atividade, sofrendo alguma perturbação funcional que envolva a perda, redução permanente ou temporária da capacidade de trabalho. 
 
O chamado "acidente de percurso" ou "acidente de trajeto" pode ser equiparado a um acidente de trabalho, quando ocorre durante o deslocamento casa-trabalho ou trabalho-casa e se enquadra nos requisitos legais. Mas é importante ressaltar nesse caso, que para caracterizar o acidente de trabalho, é preciso que o funcionário esteja fazendo o percurso normal dentro do tempo em que geralmente é executado.
 
Diante desses cenários de riscos, cabe aos profissionais de segurança do trabalho, adotar medidas que eliminem ou minimizem as duas principais causas dos acidentes, como as condições inseguras e o ato inseguro.
 
As condições inseguras, referem-se ao ambiente de trabalho que não é seguro e saudável. Já o ato inseguro é aquele causado pelo próprio trabalhador, que contraria as normas de segurança e passa a correr riscos. É o que acontece, por exemplo, quando um colaborador não utiliza o EPI oferecido pela empresa, que, por sua vez, está obrigada a fornecê-los.
 
Assim, o profissional de segurança do trabalho atuará conforme a sua formação, seja ele médico, enfermeiro, técnico ou engenheiro, de acordo com  o SESMT (Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho).
 
No Brasil, as regras de segurança e saúde ocupacionais estão previstas na legislação trabalhista (Consolidação das Leis do Trabalho - CLT) e em decretos e portarias. Contudo, a regulamentação é feita por meio das Normas Regulamentadoras (NRs) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).
 
Além de ser uma questão de legalidade, a segurança do trabalho oferece inúmeros benefícios para a empresa, como a melhoria da gestão, a maior segurança do ambiente de trabalho, e a conscientização dos empregados, que passam por um constante processo de orientação e reeducação.
 
Agindo com segurança e prevenção, além de evitar a ocorrência de acidentes, a empresa age com responsabilidade social, e ainda se exime de problemas futuros.