As rochas ornamentais, como o mármore e granito são sempre ótimas opções para revestimento de piso e parede, em áreas internas e externas.
 
Com resistência e durabilidade elevadas, elas exigem atenção no assentamento, pois as pedras são delicadas e suscetíveis a danos, quando manuseadas de maneira incorreta.
 
O ideal é que sejam armazenadas em ambientes secos e limpos, de preferência sobre cavaletes, e protegidas por elementos impermeáveis. A exposição a outros materiais de construção, pode resultar no surgimento de manchas ou riscos.
 
É recomendável, ainda, que a argamassa utilizada para execução do contrapiso ou emboço, não receba cal em sua composição, pois a substância pode provocar o surgimento de eflorescências em pisos e paredes.
 
A instalação do revestimento só deve acontecer, após o tempo de cura da base que, segundo a norma técnica NBR 7200, e deve ser de, no mínimo, 21 dias.
 
O contrapiso deve estar firme e livre de qualquer tipo de resíduo, que dificulte a aderência. As argamassas mais indicadas, nesse caso, são o concreto farofa (cimentícias convencionais semi-secas), as colantes ou as adesivas.
 
A argamassa adesiva, além de apresentar os maiores níveis de aderência, também proporciona rapidez na execução, permitindo a liberação do tráfego em apenas seis horas, contra 72 horas, no caso do concreto farofa ou das argamassas colantes. 
 
Os revestimentos verticais convencionais (não aerados), são aqueles aplicados diretamente na fachada, com uso de argamassas e inserts metálicos, sem que haja espaço livre entre a fachada e o revestimento, como o granito, por exemplo, e são passíveis de assentamento sobre três tipos de base: emboço de argamassa, alvenaria ou concreto.
 
Sobre a base, são aplicadas as argamassas de assentamento, que podem ser cimentícia, colante ou adesiva, pois têm melhor resistência e aderência. 
 
A norma técnica NBR 13707 determina que, em paredes internas, o assentamento acima de 2 m de altura e também nas fachadas, deve ser complementado com grampos de fixação.
 
Nas paredes externas, em alturas entre 3 e 15 m, os grampos são fixados em telas, preferencialmente eletrossoldadas, ancoradas convenientemente no suporte. Acima de 15 m de altura, a fixação é feita por dispositivos metálicos.
 
Fonte: Mapa da Obra